Conferência do DF reúne segmentos da assistência social

Precedida por 15 conferências regionais, a Conferência de Assistência Social do DF foi aberta na noite de quinta-feira, dia 17, com presença massiva de usuários e trabalhadores da Rede Suas. A presidenta do CNAS, Luziele Tapajós, acompanhou a programação na manhã de hoje.

A solenidade de abertura contou com a presença da ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Teresa Campelo; do governador Agnelo Queiroz e de autoridades do legislativo e judiciário local. Mas quem deu o tom da noite foi a presidente do Conselho de Assistência Social do DF, Edjanes Araúdo, que fez o primeiro pronunciamento.

Edjanes contou sua história: moradora de loteamento irregular, sua vida começou a mudar com a mobilização pela garantia de sua moradia. Mãe de três filhos e beneficiária do Bolsa Família, voltou a estudar, tendo concluído o ensino médio pelo EJA (Educação de Jovens e Adultos) e, conseguiu, pelo Pronatec, a realização de um sonho: estudou massoterapia. Sua formatura será no dia 22 deste mês. Mas outras conquistas fazem deste outubro de 2013 um mês histórico para Edjanes: ela devolveu seu cartão de beneficiária do Bolsa Família.

Bastante emocionada, Edjanes explicou que arrumou um emprego com carteira assinada e já não precisa mais do benefício, que foi fundamental em determinado momento de sua vida, mas não é mais. Foi com seu depoimento pessoal que a presidente do Conselho do DF tentou mostrar aos presentes – 456 delegados, dezenas de observadores, além das autoridades presentes – a importância tanto da conferência, como fator de mobilização, quanto das políticas de integração social.

O representante do CNAS, conselheiro Fábio Bruni, comentou: “Edijanes é a cara da história do Brasil recente, um símbolo da Assistência Social que garante direitos, promove autonomia, altera projetos de vida! Ela mesma, eleita delegada no segmento de usuários em conferências passadas, hoje preside esta grande manifestação democrática.”

A ministra Teresa Campello falou de sua alegria com a manifestação e frisou que o crescimento nacional tem que se dar com inclusão e que recursos empregados na área social representam investimento, e não gasto. Defendeu ainda a necessidade de ampliação e capacitação de servidores e o estabelecimento de metas claras “políticas genéricas não adiantam”, destacou.

O governador do DF, Agnelo Queiroz, assinou dois decretos na abertura do evento. O primeiro prevê aumentar a quantidade de alimentos enviados às creches – que inclui pães, leite e derivados -, além de passar a mandar também às comunidades terapêuticas. O segundo decreto consolidará, a partir de novembro, recursos da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) para situações de calamidade pública e vulnerabilidade social.

“Esses são mais dois avanços no Distrito Federal na área social, para ampliar a alimentação nas comunidades terapêuticas, além de prever em lei a Assistência Social em caso de calamidades e instituir beneficio excepcional para pessoas em desabrigo temporário”, explicou o secretário da Sedest, Daniel Seidel.

Anúncios