Presidente do CNAS faz balanço em fim de sua gestão

Luziele

No primeiro dia da Reunião Descentralizada e Ampliada do CNAS foram realizados dois painéis. O primeiro, cujo tema foi O Controle Social do Suas e o CNAS: Forças e fragilidades teve como expositoras a presidente e a vice presidente do CNAS, respectivamente Luziele Tapajós e Leila Pizatto, e, como debatedores, Marcelo Pires, da Secretaria Nacional de Articulação Social – Departamento de Participação Social e Eleonora  Schettini Cunha, professora do departamento de Ciência Política da UFMG. A coordenação da mesa ficou a cargo da conselheira nacional Solange Teixeira e da Presidente do Conselho de Assistência Social do Distrito Federal Edijanes Araújo.

Luziele Tapajós expôs de forma veemente como o controle social está posicionado como pilar do Sistema Único da Assistência Social (Suas)  –  em todo o Brasil são 93.017 conselheiros de Assistência Social, segundo o Censo Suas de 2013. Destacou também a definição de um novo estágio do Controle Social, que já pressupõe planejamento, acompanhamento, cooperação federativa, gestão compartilhada e participação social. Esses elementos – junto à orientação e ação de gestores, trabalhadores e a atuação dos conselhos foram os principais avanços apontados por ela ao longo desses dois anos em que está à frente do CNAS.

Como esta gestão está em seu fim – o processo eleitoral para eleição dos representantes da sociedade civil está em leno curso – Luziele e Leila apresentaram um balanço do que foi realizado sob sua direção. A presidente comentou que, no início de seu mandato, foi elaborado um plano de ação, com base nas deliberações da VIII Conferência Nacional de Assistência Social, realizada em dezembro de 2011 e nos debates dentro do próprio CNAS. Esse plano de ação produziu uma Agenda Temática com 17 metas e, segundo ela “foi o compromisso assumido visando o crescimento contínuo do controle social da Assistência Social tendo como fio condutor o fortalecimento dos conselhos”.

O atingimento dessas metas foi explicitado pelas conselheiras que concluíram em sua reflexão que foi possível mensurar resultados porque houve planejamento e que foram muitos os avanços do período que serão disseminados em uma publicação. Segundo Luziele e leila, hoje há condições para a atuação do CNAS com qualidade necessária mas que os desafios não são poucos e que é necessário pensa-los com coragem, criatividade e muito compromisso.

Anúncios